Dia das Crianças: presentear ou não?

Foto: Reprodução


No dia 12 de outubro comemora-se o Dia das Crianças. E, num tempo em que muito se fala sobre os problemas de um consumismo exagerado, pode surgir a dúvida: presentear ou não nossos filhos?

Eu, particularmente, sou super a favor de presentear. Acho que em meio à correria do dia a dia, as datas comemorativas são momentos válidos para a gente parar e “fazer um carinho” para quem a gente ama! Ainda mais no caso dos pequenos! 

Mas, ainda assim, resolvi compartilhar com vocês, além da minha opinião, a visão de uma psicóloga!

Talita Santos, psicóloga e psicopedagoga no CEAV Jr. (escola especializada em ensino infantil), também considera o Dia das Crianças uma importante celebração. “Principalmente porque chama a atenção para melhor avaliarmos e proporcionarmos um desenvolvimento saudável às nossas crianças”, diz.

“Como profissional, ressalto que um direito (e uma necessidade) das crianças é poder brincar de forma livre. O brincar é importante para promover desenvolvimento cognitivo, psicomotor, emocional, social e muitos outros; e o brinquedo pode ser uma importante ferramenta para isso”, diz.

Então, que tal unir o útil ao agradável? Presenteado os pequenos com brinquedos que, por mais simples que possam ser, incentivem o brincar?!

“Hoje em dia, a ciência desenvolveu importantes estudos sobre brinquedos adequados e propícios para cada idade, e desfrutar disso pode ser muito valioso pra o desenvolvimento infantil. Mas, não posso deixar de enfatizar que, de forma geral, a criança pode usar qualquer objeto como um brinquedo. Ou seja, brinquedos caros ou artifícios tecnológicos não são os únicos que podem desenvolver habilidades nas crianças”, destaca Talita.

Mas, mais importante do que o presente dado, certamente é a convivência! “Acredito que uma data tão valiosa possa ser aproveitada como um momento dedicado especificamente à criança. Indico de forma mais significativa os brinquedos que promovam interação da criança com outra pessoa, como bola, artigos esportivos e jogos de tabuleiro”, explica a psicóloga. 

Para Talita, os brinquedos podem ser importantes e valorizados desde que aconteça uma conversa e um direcionamento com a criança sobre o significado do presente e deste dia. “Ou seja, vale a pena presentear desde que o presente seja curtido e preparado. Não como um artifício apenas para distrair a criança e fazê-la passar o tempo. É preciso perceber o brinquedo como uma oportunidade para desenvolver e ensinar importantes valores às crianças, como compartilhar, agradecer e aprender. Esses valores, assim como uma reflexão para o consumismo exagerado, são essenciais de serem ensinados, especialmente nesses momentos de bastante apelo midiático”, finaliza Talita.

Então, minha dica é: presenteie, sim. Independentemente do valor do presente! E, sobretudo, aproveite a data para curtir ao lado do(s) seu(s) filho(s) e para demonstrar o quanto você o(s) ama.