Vamos, de fato, brincar com nossos filhos?!

Foto: Reprodução


"Ao brincar com a criança, o adulto está brincando consigo mesmo". Esta frase de Carlos Drummond de Andrade nos traz uma reflexão importante para os dias atuais – em que, em meio à correria do dia a dia, nós, pais, temos que nos esforçarmos para encontrar um tempo para “nos desligarmos de nossas obrigações” e ficarmos, de fato, ao lado dos nossos filhos!

E ainda que façamos isso, diariamente, será que estamos, de fato, BRINCANDO com nossos filhos? Ou estamos ali, como meros “espectadores”, apenas assistindo a tudo o que eles fazem?!

Não é que a gente não sinta prazer em estar ao lado dos nossos filhos... Mas é verdade que muitos pais não conseguem “sair do mundo adulto” e “entrar de cabeça no mundo infantil”! Você já parou para refletir sobre isso? 

Os tempos mudaram muito: hoje, dificilmente as crianças podem ficar sozinhas nas ruas e, quando não estão na escola, ficam em casa. Certo? Assim, naturalmente, a família passa mais tempo junta, o que é muito positivo, mas implica também que, além de responsáveis, pais e mães desempenhem também o papel de companheiros dos filhos (exatamente no sentido de conseguirem deixar um pouco de lado as suas responsabilidades para realmente brincarem ao lado da criança).

Na prática

O que os adultos podem então fazer para se tornarem “bom companheiros” de diversão para seus filhos? Usar a criatividade com certeza é a resposta! Não é necessário que o adulto conheça “todas as regras” de uma determinada brincadeira (que há muito tempo não brinca), mas deve estar “aberto” para inventar, propor ou, simplesmente, “se deixar levar” pelas ideias das crianças!

O mais importante é “aceitar o convite” do filho para brincar! Claro que, muitas vezes, é um desafio para nós, pois estamos sempre ocupados, querendo trabalhar ou cuidar da casa etc. Mas temos que ter essa consciência de que precisamos, sim, nos desligar do “mundo exterior” e entrarmos no “mundo das crianças”. 

Se for o caso, podemos estipular horários para isso: “filho, agora estou terminando de trabalhar, mas às 19h vamos brincar, ok?”. São hábitos simples que podemos criar, mas que fazem toda a diferença!

Não importa se vamos brincar de esconde-esconde, de amarelinha, enfim, brincadeiras tradicionais, ou se vamos criar novas ideias, o importante é ter aquele tempo ali totalmente destinado aos nossos filhos! 

Acho importante também “contarmos histórias” aos nossos filhos, por exemplo, inventando personagens, situações... Enfim, usando a imaginação, o que despertará, mais para frente, a curiosidade dos pequenos por livros, bons filmes etc. 

É claro que hoje não dá para “fugir” totalmente das brincadeiras eletrônicas, mas o importante é que elas não sejam únicas! Jogar videogame, mexer no tablet ou smartphone etc. são atividades que precisam ter certo limite... Senão, a criança provavelmente não vai interagir bem com adultos e nem com outras crianças, podendo ter, mais para frente, dificuldades para se relacionar.

Foto: Reprodução

Agora que refletimos sobre o assunto, vamos aproveitar o fim de semana e colocar as ideias em prática? Abaixo estão algumas ideias de brincadeiras e dicas para que os adultos se divirtam (mais) ao lado das crianças:

- Brincar de esconde-esconde;
- Construir cabana com almofadas ou lençóis;
- Ler ou contar histórias;
- Brincar de sombra com as mãos projetadas na parede; 
- Fazer máscaras;
- Quebra-cabeça;
- Caça ao tesouro;
- Cantar;
- Dançar;
- Amarelinha;
- Escravos de Jó;
- Roda-roda;
- Ciranda cirandinha;
- Peteca;
- Pião;
- Corda. 

Um fim de semana cheio de diversão para nós e nossos pequenos!