Como lidar com as mentiras das crianças?



Você já notou que, em determinada fase, seu filho estava mentindo demais?! Não se assuste, isto acontece em muitas famílias e o mais importante de tudo é sabermos como encarar o problema!

Já passei por isso, o que me motivou a pesquisar mais sobre o assunto. O primeiro passo foi entender POR QUE a criança mente. Pois, nós, adultos, ao nos depararmos com uma mentirinha logo pensamos nas “mentiras dos adultos”, aquelas associadas à falta de caráter, inaceitáveis etc.

Mas, o ponto de partida é sabermos que, para a criança, isso é diferente! A criança normalmente mente com a intenção de “fazer o que quer sem desagradar o adulto”. Por exemplo: diz que já almoçou, que já tomou banho ou fez a lição etc. Faz isso porque não quer fazer essas coisas, mas sabe que será cobrada pelos pais e não quer chateá-los.

Quando passei a olhar as mentiras dessa perspectiva, muita coisa mudou na minha cabeça! Mas isso não significa, claro, que devemos “aceitar as mentiras” e “achar tudo lindo”.... Devemos ter esta aceitação (de que a mentira da criança é diferente da mentira do adulto e de que a mentira da criança tem uma “necessidade” por trás) para, então, entendermos melhor nossos filhos. É preciso que a gente reflita: como estamos ouvindo as necessidades deles?

É claro que ações como “tomar banho”, “escovar os dentes”, “comer” etc., não são “negociáveis”! É preciso que, aos poucos, a gente vá explicando isso para a criança (agora que temos em mente que muitas mentirinhas são contadas para evitar fazer essas ações sem chatear os adultos).

Mas num dia, por exemplo, em que a criança está sem fome, não quer almoçar e usa essa mentirinha do “já comi”... Será que não podemos ser mais maleáveis? Podemos dizer, por exemplo: “ah tudo bem se você não quer comer comida, mas então vamos comer só uma frutinha?!”. 

É preciso que a gente tenha certa maleabilidade! Desta forma, a criança tende a confiar mais em nós, sabendo que será ouvida, e a comunicação passa a ser bem melhor entre pais e filho!

A mentira também pode aparecer quando a criança tem medo dos adultos, quando sabe que receberá broncas muito grandes, agressivas... Então, a fim de evitar esses momentos, ela mente, dizendo, por exemplo: “não mexi em nada”, “não fui eu que quebrei”, etc.

E o que podemos fazer neste caso? Mais uma vez avaliarmos nossa escuta, nossa comunicação com a criança. Será que não precisamos ser mais calmos, mais abertos ao diálogo? Pois, quando a criança tem a garantia de que nós receberemos “de forma calma” as notícias, ela “se mostra”, tem coragem de enfrentar as situações, vai se tornando cada dia mais uma “criança transparente”.



Então, se notou que seu(ua) filho(a) está numa fase de contar várias mentirinhas, tente avaliar a questão por esta perspectiva... Pense em como está a comunicação entre vocês e o que pode ser melhorado! Não leve tais mentiras tão a sério, lembrando que “mentira de criança é diferente da mentira do adulto”, mas também não as ignore, pois elas podem estar nos passando um sinal importante!