Missão avó: entrevista com Eliana Penatti



Dizem que “avó é mãe duas vezes”, né? E, pensando num perfil de avós cada vez mais modernas e participativas na vida de seus netos, decidimos também ouvi-las no blog!

A primeira entrevistada é Eliana Penatti, que contou um pouco do que significa para ela “ser avó” e, de quebra, ganhou um delicioso presente na nossa parceira Onodera! Confira:

 

1. Como e quando teve notícia que seria avó?

A minha filha (Vivian) chegou e falou que a menstruação dela estava atrasada e que iria fazer um teste de farmácia. Eu disse a ela: “pode fazer, mas nem precisa, porque você está grávida”. A espera era tanta que eu tinha certeza que o resultado era positivo.



2. Como se sentiu na ocasião?


Quando veio o resultado eu não conseguia me conter. Beijei muito minha filha e desejei que ela tivesse uma gravidez tranquila e que o bebê viesse com muita saúde. E foi tudo como eu sonhei.

3. Para você, o que é ser avó?


Ser avó é a coisa mais sublime e maravilhosa que pode existir. O amor de avó é incondicional, é um amor que chega a doer.

4. Dizem que avó é mãe com açúcar, você concorda?

Sim. com certeza!

5. Ser avó é ainda melhor que ser mãe (mais leve e sem tanta responsabilidade)?

Ser mãe para mim foi a coisa mais linda que me aconteceu, sem dizer a filha que tenho. Mas ser avó é uma coisa inexplicável, só quem é pode dizer... As responsabilidades para mim são bastantes, porque minha neta Maitê fica aos meus cuidados a maior parte do dia.



6. Quais são, em sua opinião, as responsabilidades de ser avó?

Por ela passar muito tempo aos meus cuidados, eu procuro educá-la como eu eduquei a mãe dela, só que em dobro.

7. Na sua opinião, qual a importância de manter a família sempre unida e quais costumes/hábitos em sua família levam a isso?

Para mim família é a base de tudo. Estarmos unidos e reunidos é muito importante e assim fazemos. Para a criança é essencial, ela ter essa referência de união. Sempre que possível nos reunimos, ambas as famílias. A minha neta tem duas bisavós que preservamos muito o contato e que ela ama de paixão.

8. Se reúnem em datas especiais?


Sim, toda família tem esse costume, é muito lindo de ver, porque hoje em dia é raro isso acontecer. E isso torna referência para a criança. É muito bom para a criança sentir o amor, o carinho de avós, tios, tias, primos e das pessoas que amamos. 


9. Viajam juntos?

Sempre que é possível sim. Se não estamos juntos, nada como um telefonema ou outro tipo de contato para matar a saudades.