E quando surge o desejo de ser Youtuber Mirim?



A tecnologia é uma realidade e, por mais que adotemos alguns critérios, é inevitável que ela “alcance” nossas crianças.

No que diz respeito à internet, especificamente, hoje as crianças têm acesso a vídeos que as encantam, sobre os mais variados temas, muitos vezes sob o comando de um(a) youtuber da idade delas.

O acesso cada vez mais amplo a este tipo de conteúdo faz crescer em muitas crianças o desejo de se tornar Youtuber Mirim – “profissão” que era, até pouco tempo atrás, totalmente desconhecida para nós.

Não por acaso, nos surpreendemos ao saber que a Happy Code - Escola de Programação, Desenvolvimento de Games, Aplicativos e Empreendedorismo para Crianças de 6 a 17 anos – oferecia um curso de Youtuber.

Tatiana Libardi, proprietária da Happy Code, explica que o curso de Youtuber foi criado em 2015 com o objetivo de instruir os alunos a criarem conteúdos no Youtube com responsabilidade e segurança. “Inicialmente criamos o primeiro módulo como um curso de férias e com conteúdo básico sobre roteiro, edição e direitos autorais. Agora, já temos a versão regular do curso de Youtuber com conteúdo muito mais completo que abrange também iluminação, criação de vinhetas, edição com chroma key”, diz.

Atualmente, ser Youtuber é um sonho para muitas crianças e adolescentes. Mas quais são as vantagens deste novo tipo de “profissão”?

“A maior vantagem é trabalhar com o que gosta! Nosso objetivo não é que todos os nossos alunos sejam youtubers de games, ou incentivar que todos sejam profissionais famosos, mas que eles criem conteúdos saudáveis sobre os assuntos que quiserem, seja uma matéria da escola, cinema, artes ou qualquer outro assunto do dia a dia e com foco na diversão”, destaca Tatiana.

Os cuidados necessários

Em contrapartida, quais cuidados os pais devem ter ao notarem que a(o) filho(a) tem interesse em se tornar Youtuber? Como alertá-los(as) sobre a realidade da “profissão”? Incentivar até que ponto? Como saber se este é apenas um “interesse de momento" ou se é, de fato, uma ideia de profissão? Essas são as principais questões que “atormentam” os pais.

Tatiana destaca que a Happy Code foi pioneira na criação do curso de youtuber ao perceber a influência que os youtubers têm hoje em dia... E, também, ao entender a preocupação dos pais com o tipo de conteúdo que seus filhos consumiam; e mais do que isso, começavam a produzir sem nenhum tipo de orientação.

“É importante que os pais orientem as crianças para que os conteúdos criados sejam adequados à idade das crianças e que participem da produção para evitar qualquer conteúdo que exponham as crianças a situações vexatórias. Os Youtubers Mirins precisam saber dos perigos que expor informações pessoais podem significar”, explica Tatiana.

“Consideramos que a produção dos vídeos deve ser incentivada porque desenvolve habilidades como criatividade, sem contar a possibilidade de ajudar os colegas de classe com algum conteúdo sobre as matérias da escola ou compartilhar conhecimento, que sempre são válidas”, acrescenta Tatiana.

Neste sentido, explica Tatiana, os pais precisam ficar atentos ao crescimento do canal, visualizações e seguidores, para saber quando “a brincadeira está ficando séria”, mas sempre lembrando que o principal para as crianças deve ser se divertir produzindo conteúdos que as façam felizes.

Saber da existência do curso e olhar o papel dos Youtubers Mirins dentro desta nova perspectiva, nos torna menos “resistentes” às mudanças evidentes relacionadas à tecnologia e comunicação (e que, naturalmente, influenciam as crianças).

De fato, não temos mais como evitar que nossos filhos se interessem pelo conteúdo produzido por crianças ou adolescentes com idade próxima à idade deles. Devemos, porém, como pais, estarmos atentos ao tipo de conteúdo que eles estão buscando.

E, se o desejo de se tornar um Youtuber Mirim surgir também em nossos filhos, devemos ter a seriedade e a leveza de conversar abertamente com eles sobre o tema. É necessário saber o que a criança pensa sobre essa atividade, que tipo de conteúdo espera compartilhar com os outros... Bem como é importante orientá-la sobre a necessidade de “se ter os pés no chão”.

Não devemos alimentar na criança a ideia de que ela “se tornará famosa” sendo uma Youtuber Mirim; o que certamente poderia trazer frustrações, especialmente no início. Mas, talvez, possamos estimulá-la a produzir um conteúdo adequado para o público a que se destina... Isso será muito válido no sentido de fortalecer as noções de responsabilidade nessa criança, por exemplo.

Precisamos também deixar claro que ela não deve “querer imitar” outro Youtuber. Mas, sim, deve ser “o mais natural possível” ao produzir seus vídeos. Afinal, é a personalidade de cada pessoa que dá vida a um Youtuber... (Caso contrário, todos os Youtubers que falassem, por exemplo, sobre receitas, seriam iguais!).

É essencial também que não deixemos nossos filhos confundirem as responsabilidades que têm com seus estudos e outras atividades com o desejo de ser um Youtuber. Como pais, devemos continuar colocando “limites”, ajudando-os a conciliar o que é compromisso com o que é lazer/diversão.

Enfim, estarmos abertos para entender a realidade e os desejos dos nossos filhos é o melhor caminho para nos mantermos próximos – no sentido de podermos continuar orientando, acompanhando suas atividades.

E, se entre o desejo deles está a vontade de ser Youtuber, que tal “nos abrirmos” e tentarmos direcionar para que esta atividade seja feita com responsabilidade (além de diversão, é claro)?!