O Cérebro Das Crianças: a tão falada MEMÓRIA

Alessandra Netti, psicóloga e neuropsicóloga 


A memória é tão falada em todas as áreas da saúde e educação pois ela é absolutamente necessária a todas as atividades da nossa vida.

Ela está nas nossas ações involuntárias, nas nossas habilidades, ao reconhecermos as informações que vêm da visão, audição, gosto, olfato e tato.

Essa memória nos permite ter respostas do mundo interno - nosso corpo e do mundo externo - que é a nossa comunicação em várias formas de expressão.

Mas...como isso funciona no nosso cérebro?

O nosso cérebro é capaz de selecionar o que é para ser estocado na memória ou não.

Somos invadidos por todas as informações vindas das fontes sensitivas, visuais, gustativas, olfativas, táteis e também psíquicas.

Quando o nosso cérebro faz um estoque temporário, chamamos de memória de curto prazo. Sabe quando a gente quer guardar um telefone até chegar perto de algum lugar para anotar? Então!! Logo depois que anotou, já nos desfazemos dessa memória pois não precisamos dela. No nosso cérebro ela acontece na área frontal, na altura da testa. Se chama Memória de Trabalho ou Memória Operacional, ela é uma memória curtinha mas que precisamos muito no dia a dia e para a aprendizagem. Essas informações poderão ser enviadas ou não para outras áreas cerebrais para que sejam estocadas de maneira duradoura e virar memória de longo prazo.



Vocês já ouviram falar no HIPOCAMPO?

Lá existem muuuitos neurônios de reconhecimento episódico que não são muito usados e ativados. Eles estão ligados ao que chamamos de células de novidade. Quando nos deparamos com algo pela primeira vez, eles se ativam e nos proporciona uma sensação de novidade mas ela se afrouxa e ao nos depararmos com aquele evento novamente não aciona as células da novidade e passa a ser reconhecido tornando-se a memória de fato.

Mas pensando em todos os tipos de memória, didaticamente, os neurocientistas dividem a memória em:

- Memória reflexa medular: ela nos protege dos perigos, é uma memória primitiva. Se estivermos colocando a mão em uma travessa muito quente, automaticamente recolhemos a mão.

- Memória sensorial: há um tempo atrás, eu estava entrando em casa e de repente, as lágrimas saltaram dos meu olhos!! Era o cheiro de almondegas fritas que me remeteu até a casa da minha avó quando eu era criança!! Essas memórias, fazem história e criam marcas na nossa vida!

A nossa memória sensorial permanecerá dentro de nós e está relacionada a estímulos visuais, auditivos, táteis, olfativos e gustativos.

- Memória implícita ou não declarativa: são aquelas memórias relacionadas aos nossos hábitos e habilidades motoras- escrever, andar de bicicleta, dirigir...não percebemos conscientemente como operamos mas elas acontecem naturalmente.

- Memória explícita ou declarativa: é a memória que torna consciente os fatos do dia a dia e que já aconteceram. Lembra daquela travessa quente que puxamos à mão? Então, quando nos depararmos novamente com uma travessa na mesa vamos lembrar do fato e tomarmos mais cuidado.

A memória explícita se divide em: memória semântica e memória episódica.

Memória semântica é responsável pelo nosso conhecimento acerca do mundo, como nome de lugares ou coisas, vocabulário e normas. Ela é muito importante pois nos lembra do passado e ajuda a planear o futuro.

A memória episódica está relacionada a lembranças de coisas e eventos relacionados a um tempo ou lugar. Nos permite lembrar de situações da vida pessoal e das coisas que aprendemos também.

Nossa!! Acho que falei bastante por hoje!

Temos mais coisas para falar sobre a memória, mas fica para outro momento, assim vocês não se cansam.

Até a próxima!!